deram as suas vidas por amor e fidelidade a cristo

Irmãs mártires

Irmã Esperanza de la Cruz

Irmã Gabriella de São João da Cruz

Irmã Refúgio de San Angelo

Sr. Daniela de San Bernabé

Irmã Esperanza de la Cruz, cm

Nasceu em Ventolá (Gerona) a 27 de Fevereiro de 1875. Aos 20 anos, entrou no noviciado dos Missionários Carmelitas de Grace-Barcelona. Professou como freira CM a 3 de Dezembro de 1896. 

Cumpriu a sua missão durante os primeiros anos ao cuidado dos doentes, mas depois dedicou-se totalmente ao ensino. Enfrentou as dificuldades de ensino nestes tempos difíceis em Espanha, nos anos 30. 

O horizonte político tornou-se cada vez mais difícil e ela estava pronta para o martírio sem demora. Em 1936, enquanto superior do colégio comunitário de Vilarrodona (Tarragona), foi presa pelo "Comité Vermelho", sofreu humilhações e foi morta a tiro à beira da estrada em LA RABASSADA (BARCELONA) a 31 de Julho de 1936. 

Caracteriza-se pela sua profunda gentileza, compreensão, amor fraternal e serviço.

Irmã Maria Refugio de San Angelo, Cm

Nasceu em Gavarra (Lérida) a 20 de Abril de 1878. Entrou no noviciado dos Missionários Carmelitas de Grace-Barcelona em 1897. Professada como freira missionária carmelita a 20 de Dezembro de 1898.

Caracterizava-se pela transparência, simplicidade e uma mulher de oração. Medroso e acobardado pelo perigo do martírio, mas pronto para "o que Deus quiser".

Enquanto era vigária da comunidade de Vilarrodona, foi presa juntamente com a Irmã Esperanza pelo "Comité Vermelho" e morta a tiro à beira da estrada em La Rabassada (Barcelona) a 31 de Julho de 1936.

Estas duas irmãs não tinham mais testemunhas na hora da sua morte do que os seus assassinos e o Senhor Jesus, que lhes deu a força para enfrentarem este momento.

Sr. Daniela de San Bernabé, cm

Nasceu em Berriatúa (Vizcaya) a 4 de Abril de 1890. Aos 20 anos de idade entrou no noviciado das Irmãs Missionárias Carmelitas em Gracia-Barcelona. Fez a sua profissão religiosa a 16 de Outubro de 1916.

Os seus companheiros recordaram-na como uma pessoa dedicada, simples, humilde, com um grande espírito de sacrifício, jovial, alegre, bondosa e trabalhadora. 

Cumpriu sempre a sua missão no domínio dos cuidados de saúde. Nos seus últimos anos, dedicou-se a cuidar dos doentes em casa. Enquanto ela se dedicava inteiramente aos cuidados de uma mulher gravemente doente em Pedralbes, que a fazia ir diariamente de Gracia (Barcelona) para Pedralbes de eléctrico, com a Irmã Gabriela, foram presas pelo "Comité Vermelho" e mortas a tiro em La Rabassada (Barcelona), a 31 de Julho de 1936. 

Sr. Gabriela de San Juan de la Cruz, cm

Nasceu em Espluga de Francolí (Tarragona) a 18 de Julho de 1880. Aos 26 anos, entrou no noviciado em Gracia-Barcelona. Fez a sua profissão como freira missionária carmelita a 6 de Outubro de 1908. 

Ela era caracteristicamente alegre, livre, muito determinada, fraterna e caridosa. Perante as tensões anti-religiosas, a sua família convidou-a a regressar temporariamente a casa, para estar segura, e a sua resposta foi sempre a mesma: "Que ela estava pronta a dar a sua vida e a morrer com as irmãs..." .... Que se Deus a tivesse destinado ao martírio, Ele dar-lhe-ia a graça necessária.  

Ela encontrou a sua morte nas mãos do "Comité Vermelho" juntamente com a Irmã Daniela quando viajaram de Gracia para Pedralbes e de volta de eléctrico para atender uma mulher gravemente doente. Foi denunciada como freira por um empregado do eléctrico. Assassinado a 31 de Julho de 1936 em La Rabassada (Barcelona).

Hino em honra dos mártires espanhóis do século XX

Letra de canções: Luis Alfredo Díaz Brito

Fixaram os seus olhos em Cristo
e eles não voltaram atrás.
Eles sabiam em quem confiavam
E essa razão prevaleceu.

Estavam vendados
mão e pé atados.
Mas o coração palpitante
cheios de amor e fé.

Como os mártires,
os nossos irmãos e irmãs
de terras de língua espanhola,
queremos ser:
a dar as nossas vidas
juntar as mãos
e preparar
para um novo amanhecer.

Se hoje os nossos passos falharem
se hoje em dia a nossa fé se cansa.
Temos de fixar os nossos olhos
em Cristo e com força para acreditar.

Remoção de vendas
libertar as nossas mãos e os nossos pés.
E com um coração disposto
seguir como eles depois d'Ele.

Como os mártires,
os nossos irmãos e irmãs
de terras de língua espanhola,
queremos ser:
a dar as nossas vidas
juntar as mãos
e preparar
para um novo amanhecer

fechar

Subscreva a nossa Newsletter

Privacidade *

Não enviamos spam. Leia o nosso política de privacidade.

pt_PTPT
Partilhar isto