O Senhor continua a chamar os jovens para trabalharem na Igreja e para a Igreja. Agora este chamamento e estes testemunhos chegam-nos de África, três jovens, com um futuro pela frente, sentiram o chamamento do Senhor que diz "Vem e segue-me" e não hesitaram, querendo ser fiéis a este chamamento interior. No dia 1 de junho de 2020, em plena crise da Covid 19, consagraram-se ao Senhor no Carmelo Missionário. Expressam o seu testemunho......

GLÓRIA A DEUS

"Cantarei os louvores daquele que me chamou das trevas para a sua maravilhosa luz..." (1 Pd 2,9). Não consigo medir a alegria, a gratidão e a felicidade que sinto no meu coração e as palavras não conseguem exprimir totalmente porque é avassaladora. É preciso coragem para responder a um chamamento, é preciso coragem para deixar o que a sorte pode dar e aventurar-se no desconhecido. Digo que vou sempre valorizar o amor incondicional de Deus por mim porque Ele foi fiel à Sua promessa. A sério, quem sou eu e a minha família para que Deus reparasse em mim? Ele plantou em mim a semente da fé e, ao longo dos anos, moldou-me, protegeu-me e alimentou-me até ao dia em que lhe digo SIM. Ele é digno de ser louvado e honrado.

Olhando para trás, agradeço a Deus o chamamento para o Carmelo Missionário, apesar de não ser digno; Ele continuou a encorajar-me a continuar com as palavras de João 15:16: "Não fostes vós que me escolhestes, mas fui eu que vos escolhi e vos designei para irdes e dardes fruto...". Esta tem sido a minha fonte de confiança e um impulso para continuar a procurar, com a convicção de que Ele tem uma missão especial que quer que eu cumpra no Seu corpo, a Igreja.

De facto, tudo era regozijo e alegria. Mesmo com os sustos da COVID 19 por todo o lado, que grande alegria, tudo estava perfeitamente preenchido com as necessidades. Na homilia, o padre sublinhou o que é necessário neste caminho que estamos a percorrer: a oração, a fidelidade, a abertura, a fortaleza e o coração que perdoa.

Senti profundamente o espírito de comunhão quando as nossas irmãs e amigos telefonaram para exprimir a sua solidariedade partilhando a alegria que estávamos a celebrar.

Agradeço a Deus por este chamamento que me tem feito ao longo da minha vida até hoje. Devo à minha família o carinho e a semente de fé que plantaram em mim, por todo o apoio que me deram e por me permitirem responder à minha vocação.

Que Deus ilumine a vossa vida e vos abençoe abundantemente. Ao iniciar esta nova etapa, confio no apoio das vossas orações para perseverar na minha vocação e viver fielmente a minha consagração religiosa até ao fim.

DEUS VOS ABENÇOE A TODOS.

                                                                                                                             Sr. Juliana Musavi Ayuku

A MINHA ALMA CANTA AO SENHOR

Este Deus que fez a grandeza de me chamar para ser Missionária Carmelita. O dia 1 de junho parecia distante, mas quando chegou o dia, apercebi-me que o tempo voa. Também me apercebi que o tempo faz com que os sonhos se tornem realidade. Sendo noviça, tive muitos sonhos desde o dia em que comecei a minha caminhada na Congregação, a 30 de maio de 2018. Sonhava em ser uma pessoa melhor, trabalhar tanto no crescimento pessoal e muitos outros sonhos, mas havia um que era ser uma Missionária Carmelita. Este é o que foi realizado hoje, os outros virão pouco a pouco.

Agradeço a Deus a oportunidade que me deu, porque sei que não sou digno, mas Ele olhou para mim e seduziu-me. Ele revelou o seu plano para mim. Agradeço à Superiora Geral, Ir. Lila Rosa Ramirez e ao seu Conselho por me terem admitido à profissão religiosa. A nossa Superiora de Delegação e o seu Conselho também merecem um grande agradecimento porque me apoiaram, me acompanharam e contrastaram a minha vida para chegar a este grande dia. Muito obrigada, irmãs. Canto também com todo o povo o meu a alma canta ao Senhor pelas suas maravilhas comigo. Obrigado à equipa de formação e às minhas irmãs, aos meus colegas e a todas as pessoas que me ajudaram a tornar-me na pessoa que sou hoje.

Deus vos abençoe a todos.

                                                                                                                                             Sr. Modester Nkhata

 

CANTAREI AS MISERICÓRDIAS DO SENHOR.

Quando a Igreja celebrava o dia de Nossa Senhora, Maria Mãe da Igreja, eu celebrava o meu nascimento no Carmelo Missionário. Cantarei as misericórdias do Senhor, o seu amor, a sua bondade e a sua alegria crescente. Foi um grande momento para mim!

Um provérbio diz: "A alegria de uma mulher grávida só está completa quando ela vê o seu filho ao seu lado depois do parto". Pelo Espírito Santo, a alegria encheu-me o coração e senti o céu na terra, vendo as pessoas que nos apoiaram e festejaram connosco, juntamente com as nossas irmãs que, de diferentes lugares, nos telefonaram e enviaram as suas mensagens de felicitações. Tinha medo que a celebração fosse adiada por causa da pandemia, mas Deus tornou possível este momento inesquecível da nossa profissão de votos. Estou feliz e sinto-me amada.

O bispo de São Paulo, Dom Josephat SMA, celebrante da Eucaristia, na sua homilia convidou-nos a refletir sobre os desafios que experimentamos e talvez pensamos em abandonar a escolha que fizemos. Exortou-nos a ser orantes, pacientes e abertas às irmãs, porque este é o segredo do sucesso e da vida comunitária do Deus Uno e Trino.

Agradeço à minha família pela sua generosidade e apoio e agradeço a todos os meus amigos que me ajudaram nos momentos de necessidade. Rezo para que Deus vos abençoe.

Agradeço à Ir. Lila Rosa, à minha Superiora Geral e ao seu Conselho, bem como à minha Superiora de Delegação, Ir. Theresa Adanna Ani, e ao seu Conselho, por me terem acolhido na Família Missionária Carmelita, e a todas as nossas irmãs com quem partilhei a vida durante todo o período da minha formação. Para além disso, gostaria de agradecer a todos os meus formadores, especialmente à Ir. Innocencia Chabuka, a Mestra de Noviças. Foi um caminho de tempestades e ventos fortes, mas Deus acalmou-os a todos, com a ajuda de Maria, a Mãe, por isso, louvo a Deus.

Finalmente, agradeço às minhas companheiras Juliana Musavi e Modesta Nkhata pela vida que partilhámos e às noviças pela sua cooperação; que Deus continue a unir-nos e que o seu Espírito nos guie para fazermos a sua vontade.

Sr. Odo Sylvia Ndidiamaka

pt_PTPT
Partilhar isto