13 MAIO 2019 - SEGUNDA-FEIRA 4 PÁSCOA
MOTIVAÇÃO
Hoje, a palavra faz-nos ver o contraste entre aqueles que nos tratam conduzindo-nos à vida, à plenitude, e aqueles que não procuram o nosso bem, mas tentam atrair-nos para zonas escuras e sombrias, onde o egoísmo quer levar a melhor.
Jesus esclarece-nos sobre o cenário em que muitas vezes nos encontraremos envolvidos, mas fá-lo para que não deixemos de ser lúcidos e de discernir corretamente, para que não nos deixemos prender ou bloquear pelo medo.
Saber compreender as pedras do caminho e os riscos que podemos encontrar tornará o nosso percurso mais suave e suportável, pois no final somos guiados por Aquele cujo "...".o jugo é suave e o seu fardo é leve".
Do Evangelho de João 10,1-10
Nessa altura, Jesus disse:
"Em verdade, em verdade vos digo que aquele que não entra pela porta no curral das ovelhas, mas salta para outro lugar, é ladrão e salteador; mas o que entra pela porta é o pastor das ovelhas. A ele o guardião abre a porta, e as ovelhas ouvem a sua voz; ele chama as suas ovelhas pelo nome e leva-as para fora. Depois de ter conduzido para fora todas as suas ovelhas, caminha à frente delas, e as ovelhas seguem-no, porque conhecem a sua voz; ao estranho não o seguirão, mas fugirão dele, porque não conhecem a voz dos estranhos".
Jesus fez-lhes esta comparação, mas eles não compreenderam o que ele estava a dizer. Então Jesus acrescentou:
"Em verdade, em verdade vos digo: Eu sou a porta das ovelhas. Todos os que vieram antes de mim eram ladrões e salteadores, mas as ovelhas não os ouviram.
Eu sou a porta: quem entrar por mim será salvo e poderá entrar e sair e encontrar pasto.
O ladrão não entra senão para roubar, matar e fazer estragos; eu vim para que tenham vida e a tenham em abundância".
COMENTÁRIOS ORANTES
Neste tempo pascal, Jesus recorda-nos palavras essenciais que sustentam a nossa vida. Por vezes, não compreendemos bem como aplicá-las à nossa realidade; acontece-nos, como aos ouvintes de Jesus, que "...não conseguimos compreender como aplicá-las à nossa realidade".não perceberam do que eu estava a falar"Mas Jesus insiste na mesma mensagem. Porque deve ser importante.
Embora Cristo se apresente a nós como o Bom Pastor, não nos esconde os perigos e os riscos que podemos encontrar ao segui-lo: falsos pastores que podem conduzir-nos a pastos errados; ladrões e bandidos que querem roubar dos nossos corações as verdadeiras pedras preciosas da fidelidade e do amor comprovado; vozes estranhas que nos atraem com as suas seduções, mas que nada têm a ver com a voz doce e profunda de Cristo Ressuscitado quando nos chama pelo nome.
É verdade que há ladrões, penhascos, maus presságios, salteadores, vozes enganadoras que nos podem desviar do caminho... mas nada, nada disso se compara à salvação que Cristo nos oferece.
Salvação que não é fruto dos nossos esforços pessoais baseados em punhos e exigências estéreis, mas que nos é dada como um caminho aberto de vida fecunda e abundante.
A vida a que o próprio Jesus Cristo nos chama.
PALAVRA DOS MÍSTICOS
CANTO:
ORAYER
Senhor ressuscitado,
por vezes - sem intenção-
Enredei-me em caminhos estranhos
que não cheiram a Ti,
que me mantêm afastado do vosso rebanho.
E, no final, acabei por me perder.
 
Tu és o meu norte, a bússola que aponta sempre para mim
o caminho para casa.
Tu é que sabes pronunciar o meu nome,
essa palavra que no íntimo
resume a minha essência e o meu significado.
Tu és a nossa porta,
aquele em que podemos entrar e sair livremente,
mas que quando passamos por isso
faz-nos sentir a vossa bondade infinita, a vossa plenitude de ser,
e de onde nunca quereríamos sair.
 
Senhor Jesus, Bom Pastor da humanidade,
que não sejamos estranhos à tua voz hoje,
mas deixemo-nos atrair em paz
e em profunda reconciliação.
 
Ana María Díaz, cm


 
13 MAIO 2019 - 4ª SEGUNDA-FEIRA DE PÁSCOA
MOTIVAÇÃO
Hoje, a palavra mostra-nos o contraste entre aqueles que nos conduzem à vida, à plenitude, e aqueles que não procuram o nosso bem, mas que tentam atrair-nos para zonas escuras e sombrias, onde o egoísmo gostaria de ter a palavra mais alta.
Jesus apresenta-nos claramente o cenário em que estaremos muitas vezes envolvidos, mas fá-lo para que continuemos a ser lúcidos e capazes de discernir corretamente, para não nos deixarmos apanhar ou bloquear pelo medo.
Saber discernir as pedras que podemos encontrar no caminho e os riscos que podemos correr, tornará o nosso percurso mais suave e suportável, porque, de facto, somos guiados por Aquele que "O seu jugo é suave e o seu fardo é leve".

Do Evangelho de João 10,1-10
Nestes termos, Jesus disse:
"Em verdade vos digo, fariseus: quem não entra no curral das ovelhas pela porta, mas entra por outro caminho, é ladrão e salteador. Aquele que entra pela porta é o pastor das ovelhas. O porteiro abre-lhe a porta e as ovelhas ouvem a sua voz. Ele chama as suas ovelhas pelo nome e leva-as para fora. Depois de ter feito sair todas as suas ovelhas, vai à frente delas, e as suas ovelhas seguem-no porque conhecem a sua voz. Mas nunca seguirão um estranho; de facto, fugirão dele, porque não reconhecem a voz do estranho". Jesus utiliza esta figura de linguagem, mas os fariseus não compreendem o que ele lhes diz.
É por isso que Jesus voltou a dizer: "Em verdade vos digo que eu sou a porta das ovelhas. Todos os que vieram antes de mim são ladrões e salteadores, mas as ovelhas não lhes deram ouvidos. Eu sou a porta; quem entrar por mim salvar-se-á. As ovelhas entrarão e sairão, e encontrarão pasto. O ladrão só vem para roubar, matar e destruir; eu vim para que tenham vida, e a tenham em abundância.

REFLECÇÃO
Neste tempo de Páscoa, Jesus recorda-nos palavras essenciais que sustentam a nossa vida. Por vezes não sabemos bem como aplicá-las à nossa realidade; acontece-nos o mesmo que aos ouvintes de Jesus, que "não percebia do que ele estava a falar".mas Jesus insiste na sua mensagem: ela deve ser importante.
Embora Cristo nos seja apresentado como o Bom Pastor, não nos esconde os perigos e os riscos que podemos encontrar no seu seguimento: falsos pastores que nos podem conduzir a pastos errados; ladrões e bandidos que querem roubar dos nossos corações as verdadeiras pedras preciosas da fidelidade e do amor comprovado; vozes estranhas que nos atraem com as suas seduções, mas que nada têm a ver com a voz doce e profunda de Cristo Ressuscitado quando nos chama pelo nosso próprio nome.
É verdade que há ladrões, penhascos, maus presságios, assaltantes, vozes enganadoras que nos podem levar em direcções erradas... mas nenhum, nenhum deles se compara à salvação que Cristo nos oferece.
Salvação que não é o resultado do nosso esforço pessoal baseado em punhos e exigências estéreis, mas que nos é dada como um caminho aberto de vida fértil e abundante.
A vida a que o próprio Jesus Cristo nos chama.

UMA PALAVRA DOS MÍSTICOS
CANÇÃO:
 ORAYER
Senhor ressuscitado,
por vezes - sem intenção-
Deixo-me levar por caminhos estranhos
que não conduzem a Ti,
mas que me afastam do vosso rebanho.
E, no final, perco-me no caminho.
 
Tu és o meu norte, a bússola
que me indica sempre o caminho para casa.
Tu é que sabes pronunciar o meu nome,
essa palavra que intimamente
resume a minha essência e o meu significado.
Tu és a nossa porta,
aquele em que podemos entrar e sair livremente,
mas quando passamos por isso
faz-nos sentir a vossa bondade infinita, a plenitude do vosso ser,
de onde nunca quereríamos sair.
 
Senhor Jesus, Bom Pastor da humanidade,
que não sejamos alheios à tua voz hoje,
mas que nos deixemos atrair pela paz
e em profunda reconciliação.
 Ana María Díaz, cm

 

pt_PTPT
Partilhar isto